Palavra Pastoral

Na verdade, não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. Hb 13.14

 PEREGRINO

338535

                       Ouvimos a todo instante a expressão “estamos aqui nesta terra só de passagem”. Muitos não entendendo isto lutam desesperadamente, batalham arduamente para acumularem para si cada vez mais bens materiais. Muitos sequer utilizam as riquezas que lhes chegam às mãos para momentos de lazer e de felicidade.

            Nós, entretanto, que somos cristãos compreendemos bem o sentido da palavra peregrino. Podemos ter uma frota de caminhões, centenas de bens móveis, imóveis, e semoventes, muito recursos materiais e financeiros, bastante dinheiro no banco, mas nada disso levaremos para as mansões celestiais. Sabemos que apenas estamos no mundo, porém dele não somos.

            O peregrino não tem aqui na terra morada permanente, mas está sempre em caminhada. O peregrino sabe que não vai a nenhum lugar para ficar para sempre, pois sua última parada é o céu. O estrangeiro não busca o seu sucesso, ou a sua glória no lugar para onde foi enviado, mas procura dar frutos onde foi plantado, digno da missão que Deus lhe confiou, procurando sempre glorificar o seu Senhor.

            Fomos para Maceió pretendendo criar raízes, ainda que temporárias, ou seja até a volta do Senhor Jesus. Fomos para Maceió sabendo que a igreja que estávamos dirigindo não era nossa, mas do nosso amado Senhor Jesus Cristo. Fomos para a Terra dos Marechais sabendo que éramos apenas mordomos de Cristo, servos de um bom Salvador, sempre almejando servi-lo com integridade, entusiasmo e valor. Com os corações inflamados, sempre com fé trabalhamos, e fomos por Deus ajudados em tudo consagrando nossas vidas a Jesus.

O tempo passou, três e quatro meses. Começamos num auditório Maceió Mar Hotel, gentilmente cedido pelo seu proprietário e  hoje temos, pela misericórdia de Deus uma igreja estabelecida. Uma igreja com uma Paróquia e duas missões, a  Missão da Fé em Matriz de Camaragibe/Al em andamento e a Missão da Vitória, ainda em fase missão embrionária, na parte alta da cidade.

Aprendemos muito juntos. Pastoreamos e fomos pastoreados. Erramos muitas vezes, mas Deus sabe que sempre procuramos honestamente acertar porque a igreja é do Senhor Jesus. Vocês são testemunhas do que Deus fez em nossos corações e no coração dos demais irmãos da igreja. Como Ele com o seu poder nos mudou, nos moldou e deu nova forma e nova consciência cristã.

Nosso Pastor de verdade amados é Jesus Cristo. Nele nós podemos confiar inteiramente. Nele nós  podemos colocar nossa fé irrestrita, porque Ele não falha e jamais falhará. Foi Ele e não nenhum de nós, Seus pastores humanos, que deu a vida para resgatar o homem. Foi Ele que morreu na cruz pelos pecados de todos nós. Portanto, irmãos devemos olhar sempre para Ele, devemos caminhar sempre com Ele, devemos andar sempre nos seus ensinos, porque homens erram, mas Jesus nunca errou, não erra e não jamais errará.

Entretanto, Ele achou por bem contar com alguns de nós para pastorearmos o seu rebanho, as suas ovelhas. Ovelhas precisam de um pastor que as ajude a caminhar, a peregrinar nesta terra. Ovelhas precisam de um pastor presente em suas vidas para nas horas de angústia as colocarem nos braços e as embalarem até a dor passar, até a dor amainar. Ovelhas precisam de um pastor amigo, amado e carinhoso que as ensine o caminho que devem seguir e que esteja com elas em todas as horas, sejam de alegrias ou de tristezas.

Peregrinamos, Pr Pedro, Jannes e Pedro Manoel por um pouco de tempo entre vocês. Não tivemos a possibilidade de estar mais assiduamente com vocês. Não pudemos, por força da distância que nos separa estar presente nas suas vidas. Sofremos com isto, pois sabemos da necessidade de cada um de contar com o pastor nas horas de aflição e de alegria. Então é chegada a hora de partir, uma vez que Deus tem levantado um servo seu com condições de dirigir a igreja e ir morar em Maceió.

Estamos tristes. Nossos corações apertados, morremos um pouquinho mais, mas Deus há de nos consolar. Deus na sua infinita sabedoria não nos está permitindo ficar, permanecer em Maceió como sempre brincamos dirigindo a igreja, até os 94 anos. Consolamo-nos com as palavras do apóstolo Paulo que diz: “eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem dá o crescimento.” 

Por outro lado, estamos alegres porque sabemos que o melhor de Deus para nós está por vir. Porque sabemos que vocês, que fazem a igreja de Maceió,  a Paróquia da Esperança, são do Senhor Jesus e Ele vai cuidar de todos vocês.

Queridos, como peregrinos, sempre chega a hora triste de dizer adeus.
Último adeus? Não! Sempre será o penúltimo porque em Cristo viveremos para sempre.

Agradecemos de coração por nos amarem tanto.
Tenham certeza nunca nos esqueceremos de vocês.

Com carinho,
Rev. Pedro Neves, Jannes e Pedrinho

Palavra Pastoral

“Pois assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivei”
(Amós 5:4).

Precisando De Tudo

Paulo Roberto Barbosa

crianca-orando

Um pastor, puxando conversa com um pequeno menino, perguntou se ele costumava orar todas as noites. “Não, senhor,” respondeu a criança, “nem todas.” “E por que não?” continuou o pastor. “Porque há noites em que eu não preciso de nada.”

É possível que nós, cristãos adultos, costumemos agir à semelhança do menino de nossa ilustração. Buscamos a Deus, chegamos mesmo a chorar em Sua presença, clamamos com intensidade e insistência, mas apenas nos dias ou momentos de grande necessidade. Deus tem sido, para nós, um socorro nas horas de angústia e aflição, e Ele o é mesmo, para todos. Mas, não é somente isso.

Deus deseja estar ao nosso lado em qualquer situação. Quer consolar-nos nas horas difíceis e alegrar-se com a nossa alegria. Quer conduzir-nos pela estrada das conquistas e assistir, com grande regozijo, todas as nossas vitórias.

Quando buscamos a Deus em todos os momentos, não apenas asseguramo-nos de que cada passo dado terá a aprovação e companhia do Senhor, como valorizamos aquilo que somos e fazemos, porque o brilho do Pai será constante em todos os dias de nossas vidas.

Um coração cheio da graça do Senhor conduz-nos, com segurança, à realização de todos os sonhos e nos faz, independente disso, viver a felicidade que tanto almejamos.

Quando abdicamos da presença do Senhor por não estarmos diante de necessidades ou grandes lutas, perdemos a oportunidade de ser abençoados nos dias comuns, onde julgamos que tudo vai bem e não percebemos que ao lado do Senhor tudo seria bem melhor. Deixamos de alcançar grandes realizações porque nos conformamos com a vida insípida e vazia que a ausência das provações nos impõe. Pela falta de fracassos, deixamos de comemorar grandes conquistas.

Deus quer fazer de você uma bênção e não apenas livrar sua vida de problemas.

Segundo seu próprio testemunho, Paulo Roberto Barbosa é crente no Senhor Jesus desde de o ano de 1974. Perdeu sua esposa em 1993, depois de 15 anos de casado. Ordenado pastor pelo Reverendo Márcio Valadão, da igreja da Lagoinha, contribuiu na abertura de igrejas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Por um descolamento de retina ficou cego em 1990, encontrando a partir daí todas as dificuldades possíveis para continuar seu trabalho de evangelista. Persistente e confiando em Deus lutou até encontrar um meio que continuar sendo útil ao ministério do Senhor Jesus.

Hoje, graças ao seu esforço e a misericórdia do Senhor Jesus, o pastor Paulo nos abençoa com preciosidade como a descrita acima.

Com carinho.

Rev. Pedro Neves

Palavra Pastoral

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, visto que todos pecaram”.
(Rm 3.23-24; Rm 5.12)

PECADO: INSUBMISSÃO

Pecado 1

Continuando através de nosso boletim a reflexão sobre algumas doutrinas que consideramos fundamentais para o nosso viver cristão hoje comentaremos sobre o Pecado.

O que é pecado?

Pecado é insubmissão a Deus.

Em um primeiro momento é a nossa rejeição ao amor de Deus que traz consequências funestas para a humanidade. Num segundo momento andar em pecado é ultrajar o governo soberano de Deus. Viver em pecado é caminhar independente da vontade de Deus ignorando seus ensinos e mandamentos expressos nas Sagradas Escrituras, Sua revelação especial para nós.

Quando surgiu o pecado?

Deus fez o homem puro, santo e reto. Portanto, o  pecado é um elemento estranho à natureza original do ser humano. Adão não foi criado por Deus, pecador, mas se tornou pecador pelo exercício de seu livre arbítrio, ao se rebelar contra o mandato do Senhor. O pecado como diz a Palavra de Deus entrou no homem, ou seja, não veio com o homem desde que foi criado.

Ainda que muitos indivíduos não creiam na Bíblia Sagrada; ainda que muitas pessoas desprezem o relato da queda do homem mencionado nas Escrituras; ainda que para alguns Adão e Eva façam parte apenas da mitologia hebraica nós temos motivos de sobra para crer que o pecado se originou na desobediência de nossos primeiros pais.

Ao pecar Adão introduziu a morte na raça humana, pois pecado e morte estão entrelaçados como diz o texto bíblico: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” (Rm 3.23) O pecado, a queda, veio a ser a herança maldita de todos nós pertencentes a raça humana (Rm 5.12-21). Todos os que foram nascidos em Adão são pecadores e por seu intermédio herda a corrupção dele oriunda, em consequência herdam a morte física e a morte espiritual.

Ao pecar o homem Adão tornou a humanidade e toda a criação corrupta.  Corrompidas humanidade e criação é necessário restauração. Pecando o homem perverteu por completo a natureza humana, bem como todo o Universo. Ao perverter-se o homem viu seu coração destituir-se do amor de Deus e sua consciência e espírito serem corrompidos.

O pecado de Adão é a árvore que produz muitos frutos que podem ser considerados hereditariamente, ambientalmente e circunstancialmente, bem como pelas possibilidades de nossas quedas em tentação quando temos uma disposição mental e espiritual enfraquecida.

Logicamente, como todos pecamos em Adão iniciamos nossas vidas com a necessidade de um elo que faça a religação entre nós e o nosso Deus. O que é religião, senão a necessidade de uma religação da humanidade com Deus? Como então faremos esta religação?

Deus, nosso Pai de amor, preparou um Salvador capaz de fazer novamente a religação a Ele. Enquanto o pecado de Adão trouxe para nós a morte, a morte de Jesus Cristo nos trouxe a vida. O que a humanidade fez para merecer tal ato de amor?

Nada.

É como a Palavra de Deus nos diz que o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna. Que vamos fazer?

Aceitar Jesus Cristo, como nosso único e suficiente Salvador na certeza de que seu sacrifício nos livrou do pecado e da morte. Além disso, vamos nos esforçar para impedir que em nós a árvore do pecado cresça, dê e aumente seus frutos com a ajuda de Deus.

Com carinho.

Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves

Palavra Pastoral

“Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder, porque Tu criastes todas as coisas, e por Tua vontade são e foram criadas”.
(Ap 4.11)

adorar_man3

A CRIAÇÃO: O HOMEM Continuando através de nosso boletim a reflexão sobre algumas doutrinas que consideramos fundamentais para o nosso viver cristão hoje comentaremos sobre a Criação. Para Alister McGrath a criação está relacionada à ordem cujo estabelecimento se dá pela ação de Deus no controle sobre o caos.  A natureza no contexto da Bíblia (Antigo Testamento) não é divina, pois Deus criou a lua, o sol, e as estrelas dEle destacados, apesar da adoração que lhes prestavam os antigos. Diversas abordagens foram feitas por filósofos e teólogos ao longo dos tempos. Para os gnósticos havia uma diferença entre o Deus que redimiu a humanidade e o deus (demiurgo – forma inferior de divindade) que criou o mundo. Outro debate se concentrou em torno da criação ex nihilo (a partir do nada). Para os gregos, Deus não criara o mundo, antes deveria ser considerado como arquiteto, responsável pela organização da matéria pré-existente. A matéria já se encontrava presente no universo e não precisou ser criada, mas apenas se lhe dar uma forma e estrutura definidas. Portanto, Deus era considerado como aquele que dera forma ao universo a partir de matéria já existente. (Platão)

Este entendimento não ficou restrito aos gregos. Antes foi incorporado por gnósticos, bem como por teólogos cristãos que diziam crer na preexistência da matéria, que teria sido transformada, assumindo a forma do universo atual. Ou seja, a criação não ocorreu ex nihilo, mas como uma atividade de construção à partir do que já existia. (Justino e Orígenes)

Já no final do século IV a maioria dos teólogos cristãos tinham rejeitado a abordagem de Platão e defendiam Deus como criador de todo o mundo, tanto o físico como o espiritual. Já no Concílio de Nicéia temos a declaração de fé no Deus criador do céu e da terra, nos domínios material e espiritual. Quando Deus cria o universo material e o universo físico Ele não só abrange a criação de corpos inanimados, mas também a dos corpos animados. Dentre estes, os homens são considerados como parte dessa criação. Entretanto, diferentemente do que a teoria da Evolução ensina não evoluímos para sermos humanos, mas fomos criados por Deus como seres humanos, homo sapiens.  Baseados no fato de que somos a coroa da criação de Deus cremos que:

1 – Há distinção entre Deus e sua criação.

2 – O Criador não se confunde com a criação.

3 – Fomos criados à imagem e semelhança de Deus.

4 – Fomos criados deliberadamente e não acidentalmente.

5 – Fomos criados por um Deus pessoal, inicialmente um só indivíduo.

6 – Somos composição de matéria física usada por Deus na feitura do Universo.

7 – Deus, o oleiro, nos criou do pó da terra e soprou em nós o fôlego de vida.

8 – Adão e Eva são personagens históricos e não mitológicos, uma vez que sua genealogia se estende até Cristo.

9 – Não nos originamos de um processo evolutivo aleatório, mas de um ato consciente e proposital de Deus.

10 – Fomos criados com a finalidade de adorar, louvar e glorificar a Deus.

11 – Fomos criados para amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos.

12 – O homem após a queda deixou de refletir a glória de Deus, precisando, portanto, de restauração.

Portanto, queridos criados à imagem e semelhança de Deus nos esforcemos para refletir a glória que Ele, através de seu Santo Filho, nos permitiu alcançar.

Com carinho,
Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves

Dia Internacional Da Mulher

A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada.
(Provérbios 31:30)

Dia internacional da mulher

Em muitas reuniões familiares ouvimos o relato de uma pessoa que sempre terminava suas prédicas com a expressão:  Deus fez a mulher  e o homem seu admirador!  Naturalmente depois que alguém citava essa frase os presentes se lembravam da pessoa, riam muito e teciam seus comentários. Uns maliciosos, outros nem tanto e outros indiferentes.

Inferências inadequadas à parte, se considerarmos a frase de modo correto devemos, obrigatoriamente, entender a necessidade de como homens admirarmos a mulher,  bem como ensinar aos nossos filhos  a admirá-las. Afinal, o próprio Deus que as criou expressa na sua revelação especial um profundo apreço pela mulher.

No livro de Provérbios,  Capítulo  31,  nos versículos  10 ao 31, cuja autoria é atribuída ao rei Salomão vemos  como Deus se refere à mulher de forma elogiosa. O texto nos apresenta uma mulher piedosa, justa, digna, verdadeira, amorosa, boa, paciente, exatamente como vocês, minhas queridas paroquianas.

Diferentemente do que muitos pensam já no ano 1.000 a. C. a mulher estava tremendamente ocupada com seus afazeres, precisando se levantar de madrugada para distribuir tarefas, fazer negócios, fiar, tecer, costurar, plantar, colher, vender, amamentar, enfim ela é obrigada a se tornar negociadora, comerciante, médica, conselheira, filha, irmã, nora, sogra, cunhada, esposa  e mãe, tudo o que hoje você minha querida ovelha é.

O que diferencia essa mulher? Ela é piedosa. O que a faz digna de elogios? Ela ama o que faz  e faz o que ama correspondendo assim ao verdadeiro Deus de amor e ao amor de Deus.

Sua atitude é digna de elogios porque para realizar tudo o que faz, ela precisa se desdobrar, se sacrificar, para que todos os seus relacionamentos sejam um sucesso.

Ela sabe que tem que fazer o melhor a cada dia e nisto ela se empenha, apresentando marcas que a diferencia das outras mulheres como:

1-    Compromisso – ela honra e dá valor a sua relação conjugal todos os dias de sua vida tendo como resposta a confiança de seu marido. V. 11-12

2-    Diligência – preguiça não faz parte da vida dessa mulher. V. 13, 14,18

3-    Bondade, Compaixão e Generosidade – ela ajuda aos pobres e necessitados. Sua mão não está encolhida para auxiliar, sendo sempre amável e afetuosamente. Reveste-se de bondade não se entregando às frustrações, iras, raivas que só servem para desperdício de energia. V.15, 20

4-    Habilidade –  examina e compra uma propriedade com o dinheiro que ganhou. V.16,17

5-    Força – ela recebe de Deus sua força para suprir as necessidades dos seus seja espiritual, emocional, física, mental e financeiramente. V. 17

6-    Sabedoria – conhece o valor de tudo o que faz e trabalha até tarde da noite. De onde ela tira sua sabedoria (o temor do Senhor é o princípio da sabedoria.) V.18

7-    Beleza – veste-se de linho e de púrpura, não se satisfazendo em ser normal, mas também quer ser única. V.19

8-    Providência – quando faz muito frio ela não se preocupa, porque sua família tem agasalhos para vestir. V. 21

9-    Honra – seu proceder é digno de nota na sociedade onde vive. V.23

10-  Temor do Senhor – vive sua vida à luz do temor a Deus, fazendo tudo o que lhe vem à mão, direito, na certeza que todos os seus atos, pequenos ou grandes tem implicações na vida daqueles que a rodeiam e com quem tem relacionamentos. V.30

Queridas, temos absoluta certeza de que vocês possuem essas qualidades. Por isto, podemos dizer sem medo de errar que vocês são dignas de nosso maior elogio. E como diz o versículo 31:
Deem a ela o que ela merece por tudo o que faz, e que seja elogiada por todos.”

Deus as abençoe.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Com carinho,
Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves

Ânimo

Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro. (Jr 29:11)

ÂNIMO

ANIMO

            Francisco Buarque de Hollanda, o famoso cantor e compositor da nossa música popular, tem em nossa modesta opinião, entre as suas mais belas canções: Roda Viva. Roda Viva retrata não só o protesto de uma época, como a nosso ver a desesperança do ser humano num determinado momento em que nada parece dar certo, todos os nossos empreendimentos estão fadados ao fracasso e que infelizmente não há nada que possamos fazer.

A letra da música de Chico Buarque afirma: Tem dias que a gente se sente Como quem partiu ou morreu A gente estancou de repente ou foi o mundo então que cresceu… A gente quer ter voz ativa No nosso destino mandar Mas eis que chega a roda viva E carrega o destino prá lá … Roda mundo, roda gigante Roda moinho, roda pião O tempo rodou num instante Nas voltas do meu coração… A gente vai contra a corrente Até não poder resistir Na volta do barco é que sente O quanto deixou de cumprir Faz tempo que a gente cultiva A mais linda roseira que há Mas eis que chega a roda viva E carrega a roseira prá lá… A roda da saia mulata Não quer mais rodar não senhor Não posso fazer serenata A roda de samba acabou…A gente toma a iniciativa Viola na rua a cantar Mas eis que chega a roda viva E carrega a viola prá lá… O samba, a viola, a roseira Que um dia a fogueira queimou Foi tudo ilusão passageira Que a brisa primeira levou…No peito a saudade cativa Faz força pro tempo parar Mas eis que chega a roda viva E carrega a saudade prá lá …Roda mundo … instante Nas voltas do meu coração…”

Todos nós passamos por momentos difíceis na vida.

Pensando bem …

Hoje, temos amigos que estão sofrendo muito porque um de seus filhos está à beira da morte num Núcleo de Atendimento à Criança com Câncer. O tratamento começou há um ano, o menino melhorou e aparentemente ficou curado. Agora uma recidiva parece estar está levando o garoto para os braços do Eterno.

Hoje, temos um amiguinho que já tentou vestibular para uma área especifica e não conseguiu passar. Dói muito vê-lo começar mais um ano quando já poderia estar no terceiro ano de faculdade, ver  seus pais pagarem novamente os estudos pré-vestibulares para ele e não terem a certeza de que vai passar.

Hoje, temos amigos que fizeram grandes bobagens. Perderam o respeito e o amor de seus familiares, bem como as suas famílias. Sozinhos, lutam desesperados para recuperarem seus lares. Sozinhos, querem o retorno da alegria de seus filhos e de suas amadas, amados a volta da mesa. Sozinhos, buscam vencer a dor da distância do ambiente familiar que um dia lhes trouxe tanto prazer.

Hoje, temos famílias que choram a morte de seus entes queridos. Mortes trágicas, esperadas, inesperadas, acidentais, incidentais, culposas, dolosas. Morte originária de um artefato que explode num campo de futebol em meio a uma torcida e que vitima um garoto de 14 anos, no auge de suas aspirações cujo único erro foi comparecer a um campo de futebol para assistir ao jogo de seu querido clube.

Podemos citar vários outros exemplos que a roda viva nos leva à depressão, ao sofrimento, à tristeza e à saudade. Mas quem está ligando?

Como diz uma outra música “o mundo é um moinho”.

O nosso Deus se importa, pois este não é o plano dEle para o ser humano. Seu desejo não é de morte, de dor, nem de sofrimento, mas de bênçãos, alegrias, prosperidade, esperança e futuro.

Abatimento, desânimo, frustração não é o desejo de Deus para nós. O plano de Deus é que tenhamos ânimo quando a dor vier e não nos deixemos abater.

A sua palavra nos diz:  No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo”. (Jo 16.33)

Meus amados, força, coragem, ânimo em quaisquer circunstâncias.
Com Carinho.
Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves

FATALIDADE: Irresponsabilidade ou Responsabilidade

“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Ec 9.10 Faça o que fizer, faça-o de coração, como se estivesse trabalhando para o seu verdadeiro mestre e não apenas para os seres humanos”. (Cl 3.23)

tragedia_santamaria_ae_evelsondefreitas

FATALIDADE: IRRESPONSABILIDADE OU RESPONSABILIDADE

Como podemos começar nossa reflexão sobre o fatídico dia 27 de janeiro? Chorando, naturalmente, com as vítimas da tragédia do Rio Grande. Solidarizando-nos com as famílias enlutadas e com aqueles que estão nos hospitais sob o risco de até perderem a vida. Orando, por que não dizer, clamando a Deus para que Ele console os corações de todos os envolvidos.

O que dizer da tragédia do dia 27 de janeiro de 2013, na boate Kiss, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul? Duzentos e trinta e sete mortos e quase cem feridos?

Fatalidade?

Cremos que não!

Mas, é o que muita gente, bem como alguns jornais comentam sobre a catástrofe. Seria mesmo uma fatalidade o Gran Circo Americano pegar fogo em 1961, em Niterói (Rj) e morrerem 503 pessoas? Seria mesmo destino em 2006, dois aviões se chocarem e 154 vidas serem transformadas em pó de uma hora para outra? Seria apenas uma desgraça 900 pessoas morrerem com as chuvas de verão na região serrana do Rio de Janeiro em 2011? Seria muito azar a morte de dezenas de crianças em UTI neonatal pelo Brasil afora todos os anos? Seria apenas uma adversidade, todos os anos a morte de milhares de pessoas em acidentes, assaltos, assassinatos, erros médicos …

Nossos eminentes lexicógrafos (dicionaristas) definem fatalidade como “destino que não se pode evitar” (Houaiss); “consequência ou influência inevitável do destino” (Aulete); e “destino inevitável” (Aurélio).

Não nos parece razoável atribuir ao destino o que se pode evitar. Ou à fatalidade, ou à consequência inevitável do destino a maioria das catástrofes que ocorrem em nosso querido país e no mundo. Tragédias que nos chocam e causam muita dor, são com efeito resultado, a nosso ver, em muitos casos, resultado evitável.

Existe uma característica inerente ao ser humano que é o fato dele ser falho. A isto se aplica um adágio popular que se denomina Lei de Murphy. O que diz a bendita lei: “Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo a causar o maior dano possível”. Esta lei, apesar de ser uma assertiva popular retrata a verdadeira condição do homem ante as possibilidades de desastres por falhas eminentemente humanas. Falhas devidas à irresponsabilidade.

O que nossa querida Bíblia ensina sobre responsabilidade? Tudo o que te vier à mão para fazer, faça-o com todas as suas forças. O resumo disto é proposto por John Wesley, eminente pregador inglês do século XVIII que diz: “O que tu tens oportunidade e capacidade para fazer, faze-o com diligência incansável, vigor e expedição. For – Thou canst neither design nor act any thing there tending to thy own comfort or advantage – Tu não podes nem desejar e nem agir em qualquer coisa cuidando de teu próprio conforto ou vantagem.”

Queridos, não importa se nós somos ou não cristãos, temos responsabilidade no que fazemos e nossas ações corretas poderão evitar muitas tragédias. De nada adianta fazermos uma caça às bruxas, ou imputarmos responsabilidade, sem responsabilidade, depois do leite derramado. De nada adianta transferirmos os deveres de um para outro órgão estatal ou de uma para outra pessoa que tinham obrigações sobre um possível evento. Devemos cada um cumprir com zelo nossas obrigações.

Por outro lado se somos cristãos nossa obrigação de responder pelas nossas ações e pelas dos outros aumenta muito porque o que fazemos, devemos fazer de coração, como se estivesse trabalhando para o nosso verdadeiro Mestre e Senhor.

O que esperamos da tragédia de Santa Maria? Que a justiça com o Devido Processo legal apure e, se for o caso, discipline os responsáveis sem o açodamento natural das grandes comoções. Que com acusações e denúncias fundamentadas a justiça seja feita.

O que pedimos aos nossos paroquianos e a todos os nossos leitores?

Amados, tudo quanto forem fazer, fazei-o com todas as suas forças, com toda capacidade, como sendo para o nosso Deus, por que assim não temos como errar e evitaremos muitas tragédias.

Vejamos um exemplo. As festas carnavalescas estão às portas. As tragédias dos carnavais também. No último carnaval morreram 176 pessoas, 2001 ficaram feridas, em 3.345 acidentes somente nas estradas federais do Brasil. As causas, em sua grande maioria irresponsabilidade. E neste ano?

O que recomendamos?

Aproveite o período para ficar em casa descansando, para por a vida em ordem, para viajar prudentemente para lugares tranquilos e sossegados. Em quaisquer circunstâncias e, sendo sua presença necessária ou porque você gosta de carnaval, lembre-se das palavras bíblicas de fazer o melhor como se fosse para o nosso mestre, Cristo, o Senhor.

A tragédia de Santa Maria não pode ser esquecida. Nossos profundos sentimentos. E que nosso Pai celestial conforte a todos.

Com carinho,
Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves