Palavra Pastoral

 A JANELA

black,and,white,death,flower,window-ff05fa99b205dc728ad457665c4328c1_h

Um casal, recém-casados, mudou-se para um bairro muito tranqüilo. Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

– Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!
– Está precisando de um sabão novo, Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

O marido observou calado.
Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:

– Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passado um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos e empolgada foi dizer ao marido:

– Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha ensinou? Porque eu não fiz nada.

O marido calmamente respondeu:

– Não, hoje eu levantei mais cedo e lavai os vidros da nossa janela!

E assim é: tudo depende da janela, através da qual observamos os fatos. Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir; verifique seus próprios defeitos e limitações.
Devemos olhar, antes de tudo, para nossa própria casa, para dentro de nós mesmos.
Só assim poderemos ter real noção do real valor do nosso amigo.

Lave sua vidraça. Abra sua janela.
Nós somos preciosos aos olhos de Deus.

Que Ele nos abençoe.
Rev. Carlos Rios.
Rev. Carlos Rios

Palavra Pastoral

ERA RICO E NÃO SABIA!

era rico e nao sabia

Um homem descontente com a sorte queixava-se de Deus:
– Deus dá aos outros as riquezas, e a mim não dá coisa alguma. Como é que posso ser feliz nesta vida, sem possuir nada?
Um companheiro seu, ao ouviu estas palavras, perguntou-lhe:
– Acaso você é tão pobre quanto diz? Deus não lhe deu, porventura, saúde e mocidade?
– Não digo que não, até me orgulho bastante da minha força e da minha juventude.
– Trocaria sua saúde e sua mocidade por dinheiro?
– Não!

 O homem, então, pegou na sua mão direita e lhe perguntou:
– Você venderia sua mão direita, deixaria que a cortassem por um bom dinheiro?
– Não, de jeito nenhum!
– E a esquerda?
– De jeito nenhum!
– E seus olhos, você os venderia, ficaria cego pelo resto da vida por uma “bolada”?
– Não daria nem um olho por dinheiro!
– Veja – observou o velho – quanta riqueza Deus lhe deu e você ainda se queixa?

“Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus.”
(I Coríntios 2.12)

Que tipo de riqueza estamos procurando?

 Nós somos preciosos aos olhos de Deus.

 No amor de Cristo, Rev. Carlos Rios
Rev. Carlos Rios

Palavra Pastoral

Buscando Milagres

milagres

“Quando já ia chegando à descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozijando-se, começou a louvar a Deus em alta voz, por todos os milagres que tinha visto” (Lucas 19:37).

Perguntaram a um índio no Arizona como era seu relacionamento com Deus e, especialmente, o que sentia quando orava. A sua resposta foi: “Quando oro, sinto como se minha vida fosse um pequeno fosso de irrigação sendo levado a um rio poderoso.” E quando, em oração, eu percebo que estou bem próximo de Deus, parece que a água daquele rio vem ao meu encontro e se derrama sobre mim, inundando todo meu ser, nesse instante, eu sinto bem forte o poder e a presença de Deus.

O que temos sentido quando buscamos a presença de Deus? E  oque temos sentido quando não lembramos de procurá-Lo?  Temos tido experiências marcantes em nossa vida de oração, podendo testemunhar que a oração é a alavanca que move os milagres do Senhor ou continuamos incrédulos e frios exatamente porque não nos movemos em direção Àquele que pode fazer grandes maravilhas?

Eu me lembro dos meus tempos de juventude quando na escola aprendia sobre Jeca Tatu. Ele vivia dizendo que a sua terra não produzia nada e passava horas deitado em sua rede.  Ao ser perguntado sobre o que plantava, respondia que não plantava nada. É claro que a terra não poderia produzir coisa alguma! Na vida espiritual acontecem coisas semelhantes.  Muitos não creem nos milagres do Senhor e nem nas respostas às orações. Mas como poderão saber se Jesus atende as orações e opera milagres se jamais o buscam e nunca separam um tempo para falar com Ele?

Você quer saber se Jesus pode ajudar-lhe a realizar seus sonhos e operar os milagres de que necessita?

Pare um pouco de correr e fale com Ele em oração. Ele está esperando por você.

 Nunca esqueça: Sua vida é preciosa para Deus!

Que o Deus trino, Pai, Filho e Espírito Santo nos abençoem sempre. Amém!

Rev. Carlos Rios
Rev. Carlos Rios

Palavra Pastoral

Na verdade, não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. Hb 13.14

 PEREGRINO

338535

                       Ouvimos a todo instante a expressão “estamos aqui nesta terra só de passagem”. Muitos não entendendo isto lutam desesperadamente, batalham arduamente para acumularem para si cada vez mais bens materiais. Muitos sequer utilizam as riquezas que lhes chegam às mãos para momentos de lazer e de felicidade.

            Nós, entretanto, que somos cristãos compreendemos bem o sentido da palavra peregrino. Podemos ter uma frota de caminhões, centenas de bens móveis, imóveis, e semoventes, muito recursos materiais e financeiros, bastante dinheiro no banco, mas nada disso levaremos para as mansões celestiais. Sabemos que apenas estamos no mundo, porém dele não somos.

            O peregrino não tem aqui na terra morada permanente, mas está sempre em caminhada. O peregrino sabe que não vai a nenhum lugar para ficar para sempre, pois sua última parada é o céu. O estrangeiro não busca o seu sucesso, ou a sua glória no lugar para onde foi enviado, mas procura dar frutos onde foi plantado, digno da missão que Deus lhe confiou, procurando sempre glorificar o seu Senhor.

            Fomos para Maceió pretendendo criar raízes, ainda que temporárias, ou seja até a volta do Senhor Jesus. Fomos para Maceió sabendo que a igreja que estávamos dirigindo não era nossa, mas do nosso amado Senhor Jesus Cristo. Fomos para a Terra dos Marechais sabendo que éramos apenas mordomos de Cristo, servos de um bom Salvador, sempre almejando servi-lo com integridade, entusiasmo e valor. Com os corações inflamados, sempre com fé trabalhamos, e fomos por Deus ajudados em tudo consagrando nossas vidas a Jesus.

O tempo passou, três e quatro meses. Começamos num auditório Maceió Mar Hotel, gentilmente cedido pelo seu proprietário e  hoje temos, pela misericórdia de Deus uma igreja estabelecida. Uma igreja com uma Paróquia e duas missões, a  Missão da Fé em Matriz de Camaragibe/Al em andamento e a Missão da Vitória, ainda em fase missão embrionária, na parte alta da cidade.

Aprendemos muito juntos. Pastoreamos e fomos pastoreados. Erramos muitas vezes, mas Deus sabe que sempre procuramos honestamente acertar porque a igreja é do Senhor Jesus. Vocês são testemunhas do que Deus fez em nossos corações e no coração dos demais irmãos da igreja. Como Ele com o seu poder nos mudou, nos moldou e deu nova forma e nova consciência cristã.

Nosso Pastor de verdade amados é Jesus Cristo. Nele nós podemos confiar inteiramente. Nele nós  podemos colocar nossa fé irrestrita, porque Ele não falha e jamais falhará. Foi Ele e não nenhum de nós, Seus pastores humanos, que deu a vida para resgatar o homem. Foi Ele que morreu na cruz pelos pecados de todos nós. Portanto, irmãos devemos olhar sempre para Ele, devemos caminhar sempre com Ele, devemos andar sempre nos seus ensinos, porque homens erram, mas Jesus nunca errou, não erra e não jamais errará.

Entretanto, Ele achou por bem contar com alguns de nós para pastorearmos o seu rebanho, as suas ovelhas. Ovelhas precisam de um pastor que as ajude a caminhar, a peregrinar nesta terra. Ovelhas precisam de um pastor presente em suas vidas para nas horas de angústia as colocarem nos braços e as embalarem até a dor passar, até a dor amainar. Ovelhas precisam de um pastor amigo, amado e carinhoso que as ensine o caminho que devem seguir e que esteja com elas em todas as horas, sejam de alegrias ou de tristezas.

Peregrinamos, Pr Pedro, Jannes e Pedro Manoel por um pouco de tempo entre vocês. Não tivemos a possibilidade de estar mais assiduamente com vocês. Não pudemos, por força da distância que nos separa estar presente nas suas vidas. Sofremos com isto, pois sabemos da necessidade de cada um de contar com o pastor nas horas de aflição e de alegria. Então é chegada a hora de partir, uma vez que Deus tem levantado um servo seu com condições de dirigir a igreja e ir morar em Maceió.

Estamos tristes. Nossos corações apertados, morremos um pouquinho mais, mas Deus há de nos consolar. Deus na sua infinita sabedoria não nos está permitindo ficar, permanecer em Maceió como sempre brincamos dirigindo a igreja, até os 94 anos. Consolamo-nos com as palavras do apóstolo Paulo que diz: “eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem dá o crescimento.” 

Por outro lado, estamos alegres porque sabemos que o melhor de Deus para nós está por vir. Porque sabemos que vocês, que fazem a igreja de Maceió,  a Paróquia da Esperança, são do Senhor Jesus e Ele vai cuidar de todos vocês.

Queridos, como peregrinos, sempre chega a hora triste de dizer adeus.
Último adeus? Não! Sempre será o penúltimo porque em Cristo viveremos para sempre.

Agradecemos de coração por nos amarem tanto.
Tenham certeza nunca nos esqueceremos de vocês.

Com carinho,
Rev. Pedro Neves, Jannes e Pedrinho

Palavra Pastoral

“Pois assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivei”
(Amós 5:4).

Precisando De Tudo

Paulo Roberto Barbosa

crianca-orando

Um pastor, puxando conversa com um pequeno menino, perguntou se ele costumava orar todas as noites. “Não, senhor,” respondeu a criança, “nem todas.” “E por que não?” continuou o pastor. “Porque há noites em que eu não preciso de nada.”

É possível que nós, cristãos adultos, costumemos agir à semelhança do menino de nossa ilustração. Buscamos a Deus, chegamos mesmo a chorar em Sua presença, clamamos com intensidade e insistência, mas apenas nos dias ou momentos de grande necessidade. Deus tem sido, para nós, um socorro nas horas de angústia e aflição, e Ele o é mesmo, para todos. Mas, não é somente isso.

Deus deseja estar ao nosso lado em qualquer situação. Quer consolar-nos nas horas difíceis e alegrar-se com a nossa alegria. Quer conduzir-nos pela estrada das conquistas e assistir, com grande regozijo, todas as nossas vitórias.

Quando buscamos a Deus em todos os momentos, não apenas asseguramo-nos de que cada passo dado terá a aprovação e companhia do Senhor, como valorizamos aquilo que somos e fazemos, porque o brilho do Pai será constante em todos os dias de nossas vidas.

Um coração cheio da graça do Senhor conduz-nos, com segurança, à realização de todos os sonhos e nos faz, independente disso, viver a felicidade que tanto almejamos.

Quando abdicamos da presença do Senhor por não estarmos diante de necessidades ou grandes lutas, perdemos a oportunidade de ser abençoados nos dias comuns, onde julgamos que tudo vai bem e não percebemos que ao lado do Senhor tudo seria bem melhor. Deixamos de alcançar grandes realizações porque nos conformamos com a vida insípida e vazia que a ausência das provações nos impõe. Pela falta de fracassos, deixamos de comemorar grandes conquistas.

Deus quer fazer de você uma bênção e não apenas livrar sua vida de problemas.

Segundo seu próprio testemunho, Paulo Roberto Barbosa é crente no Senhor Jesus desde de o ano de 1974. Perdeu sua esposa em 1993, depois de 15 anos de casado. Ordenado pastor pelo Reverendo Márcio Valadão, da igreja da Lagoinha, contribuiu na abertura de igrejas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Por um descolamento de retina ficou cego em 1990, encontrando a partir daí todas as dificuldades possíveis para continuar seu trabalho de evangelista. Persistente e confiando em Deus lutou até encontrar um meio que continuar sendo útil ao ministério do Senhor Jesus.

Hoje, graças ao seu esforço e a misericórdia do Senhor Jesus, o pastor Paulo nos abençoa com preciosidade como a descrita acima.

Com carinho.

Rev. Pedro Neves

Palavra Pastoral

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, visto que todos pecaram”.
(Rm 3.23-24; Rm 5.12)

PECADO: INSUBMISSÃO

Pecado 1

Continuando através de nosso boletim a reflexão sobre algumas doutrinas que consideramos fundamentais para o nosso viver cristão hoje comentaremos sobre o Pecado.

O que é pecado?

Pecado é insubmissão a Deus.

Em um primeiro momento é a nossa rejeição ao amor de Deus que traz consequências funestas para a humanidade. Num segundo momento andar em pecado é ultrajar o governo soberano de Deus. Viver em pecado é caminhar independente da vontade de Deus ignorando seus ensinos e mandamentos expressos nas Sagradas Escrituras, Sua revelação especial para nós.

Quando surgiu o pecado?

Deus fez o homem puro, santo e reto. Portanto, o  pecado é um elemento estranho à natureza original do ser humano. Adão não foi criado por Deus, pecador, mas se tornou pecador pelo exercício de seu livre arbítrio, ao se rebelar contra o mandato do Senhor. O pecado como diz a Palavra de Deus entrou no homem, ou seja, não veio com o homem desde que foi criado.

Ainda que muitos indivíduos não creiam na Bíblia Sagrada; ainda que muitas pessoas desprezem o relato da queda do homem mencionado nas Escrituras; ainda que para alguns Adão e Eva façam parte apenas da mitologia hebraica nós temos motivos de sobra para crer que o pecado se originou na desobediência de nossos primeiros pais.

Ao pecar Adão introduziu a morte na raça humana, pois pecado e morte estão entrelaçados como diz o texto bíblico: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” (Rm 3.23) O pecado, a queda, veio a ser a herança maldita de todos nós pertencentes a raça humana (Rm 5.12-21). Todos os que foram nascidos em Adão são pecadores e por seu intermédio herda a corrupção dele oriunda, em consequência herdam a morte física e a morte espiritual.

Ao pecar o homem Adão tornou a humanidade e toda a criação corrupta.  Corrompidas humanidade e criação é necessário restauração. Pecando o homem perverteu por completo a natureza humana, bem como todo o Universo. Ao perverter-se o homem viu seu coração destituir-se do amor de Deus e sua consciência e espírito serem corrompidos.

O pecado de Adão é a árvore que produz muitos frutos que podem ser considerados hereditariamente, ambientalmente e circunstancialmente, bem como pelas possibilidades de nossas quedas em tentação quando temos uma disposição mental e espiritual enfraquecida.

Logicamente, como todos pecamos em Adão iniciamos nossas vidas com a necessidade de um elo que faça a religação entre nós e o nosso Deus. O que é religião, senão a necessidade de uma religação da humanidade com Deus? Como então faremos esta religação?

Deus, nosso Pai de amor, preparou um Salvador capaz de fazer novamente a religação a Ele. Enquanto o pecado de Adão trouxe para nós a morte, a morte de Jesus Cristo nos trouxe a vida. O que a humanidade fez para merecer tal ato de amor?

Nada.

É como a Palavra de Deus nos diz que o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna. Que vamos fazer?

Aceitar Jesus Cristo, como nosso único e suficiente Salvador na certeza de que seu sacrifício nos livrou do pecado e da morte. Além disso, vamos nos esforçar para impedir que em nós a árvore do pecado cresça, dê e aumente seus frutos com a ajuda de Deus.

Com carinho.

Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves

Palavra Pastoral

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher,
e os dois se tornarão uma só carne.
(Ef 5.31)

PROJETO FAMÍLIA DE DEUS

familia

Estamos começando em nossa igreja um evento denominado Projeto Família de Deus. Dentro dessa perspectiva, nos reunimos ontem, sábado, pela misericórdia de Deus no primeiro acontecimento do projeto: um encontro quinzenal de casais.

Compreendemos ser necessário realizar esse evento por que a família é a célula matter da sociedade e o diabo e seus partidários estão fazendo de tudo para destruí-la, usando a maioria dos meios de comunicação de nosso país para promover uma ampla divulgação de debates e notícias que em nada contribuem para a solidificação da família.

Assuntos que ao contrário, criam dúvidas em nossos filhos sobre valores seculares tanto de cidadania quanto de religiosidade, bem como contrariam nossos ensinos na busca de uma sociedade mais harmoniosa, mais amorosa e mais justa. Matérias que expõem a possibilidade de sucesso sem importar o preço, ou o custo para os indivíduos.

Então, se não buscarmos como cristãos preservar a família com um ensino bíblico correto, sadio, logo, logo não teremos possibilidade de viver sobre a terra, pois não teremos mais regras sociais que nos limitem, será o caos. Haverá um “vale tudo” social que nos fará retornar aos tempos anteriores ao dilúvio, onde a “maldade se multiplicará e toda a imaginação do coração será má continuamente.” Gn 6.5-7

Podemos viver assim? Podemos viver com isto?

Claro que não! Precisamos que a igreja do Senhor faça a diferença no mundo em que vivemos. Poucos ou muitos precisamos lutar para mostrar ao mundo que existe um jeito de ser e viver feliz sem ser nos prazeres do pecado. Precisamos proclamar ao mundo que somos “uma raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, chamados das trevas para sua maravilhosa luz.” (1 Pe 2.9)

Precisamos amados, com os nossos exemplos ser sal da terra e luz do mundo como recomenda Jesus de Nazaré no seu famoso Sermão da Montanha. Se não temperarmos a terra com nossas vidas, isto é se onde formos plantados pelo Senhor não fizermos a diferença de modo nenhum poderemos dizer que somos cristãos (pequenos cristos). Se não iluminarmos a terra com o reflexo da luz em nós, que é Jesus, de modo algum poderemos espantar as grandes trevas que se abatem sobre a humanidade.

O mundo precisa saber disto e ver isto em nós.

Como família podemos absorver e transmitir ensinamentos bíblicos que vão fazer a diferença nos ambientes por onde andarmos. Como família podemos ser a expressão dos valores divinos na terra. Como família podemos abençoar o mundo com nossas vidas.

Mas pode onde começar?

Quando deixamos as casas de nossos pais e nos unimos como homem e mulher num projeto de vida futura, damos início a uma família, um projeto de Deus. Este projeto tem tudo para dar certo apesar do número de divórcios e separações que atualmente presenciamos em nossa sociedade parecer mostrar o contrário.

Que vamos fazer para que este projeto de Deus dê certo?

Estamos, em nossa igreja, tendo uma oportunidade com os encontros de casais de melhorar  ainda mais bons casamentos;  “botar para ferver”  casamentos mornos; e reconstruir casamentos destruídos, com a ajuda do Senhor Jesus.

Teremos nesses eventos momentos de meditação, de oração, de lazer, de trocas de experiências, de curas e muitas surpresas. Como igreja inclusiva procuraremos tornar melhor ainda nossos relacionamentos, bem fazer novas amizades e fortalecer as antigas.

Seremos ministrados em diversos temas, por exemplo:

1-    Como podemos representar os papéis dados por Deus no nosso casamento?

2-    Conhecemos o amor de Deus e o refletimos para os nossos cônjuges?

3-    Entendemos a importância dos votos matrimoniais?

4-    Vícios e tentações estão pondo em risco nosso casamento?

5-    Precisamos pedir perdão por algo que atrapalha nosso casamento?

6-    Amamos nossos cônjuges incondicionalmente?

Desafiaremo-nos nesses encontros  “a amar primeiro, amor melhor, amar para toda a vida”.

Com carinho,
Rev. Pedro Neves
Rev. Pedro Neves